• Margarida Ferreira Pinto

Proprietários de Alojamento Local: não baixem os (a)braços!


Em Portugal, a hora mudou, mas a luta permanece!


E deixem que vos diga… Afinal este período não vive só de perdas, continuam a existir nascimentos!


Room Against Covid-19, eis o nome do “rebento” que mais profissionais de saúde tem ajudado no nosso país. Nasceu da ideia e da união de empresários tecnológicos que se juntaram no Tech4Covid19 (um movimento português para combater o novo coronavírus através da tecnologia).


O objetivo é fazer “match” entre as ofertas de alojamento e os médicos, enfermeiros, auxiliares de ação médica, técnicos e administrativos que estão deslocados da sua área de residência ou que optam por estar isolados da família, com receio de os infetar com o coronavírus.


A plataforma já dispõe de alojamento em Lisboa, Porto, Faro e Funchal, sendo que, os profissionais de saúde que procuram alojamento noutras cidades poderão contactar os voluntários através do chatbot.


O alojamento é totalmente gratuito e as despesas de limpeza, luz, água e eletricidade serão comparticipadas pelo Turismo de Portugal que criou, para o efeito, um fundo de 250 mil euros.


Aos proprietários de Alojamento Local que me dizem que “o AL caiu a pique”, não desanimem!


Desde que tenham as casas registadas no RNET - Registo Nacional dos Empreendimentos Turísticos e no RNAL - Registo Nacional de Alojamento Local, podem aproveitar este período para contribuir para esta causa e, simultaneamente, continuar a investir na divulgação do vosso apartamento e repensar o vosso projeto. As pessoas, mais do que nunca, estão online e têm tempo para vos ouvir!


No âmbito do movimento Turismo #PorTodos, o Turismo de Portugal criou também o Portugal Tourism Response – uma plataforma em que os turistas podem ver respondidas as suas perguntas, podendo ainda continuar a conhecer Portugal a partir de casa (Explore Portugal from home).


A TravelBI reúne informação dos 25 mercados onde existem equipas do Turismo de Portugal (que vai desde a vizinha Espanha aos E.U.A) com resumo não só da situação sanitária e económica, mas também da dinâmica turística de cada mercado.


Entre os vários setores onde se aplicam as medidas excecionais adotadas pelo Governo como resposta à COVID-19, destaca-se o setor do “Empreendimentos e Alojamentos”. Com cerca de 900 milhões de Euros, 300 milhões de euros são para micro e pequenas empresas, small mid cap e mid cap, desde que tenham uma situação líquida positiva no último balanço aprovado ou uma situação líquida negativa e regularização em balanço intercalar aprovado até à data da operação.


Com um limite máximo por empresa de 1,5 milhões de euros, eis as condições para obter este apoio:


  • Garantias até 90%

  • Contragarantias: 100%.

  • Período de carência: até 1 ano

  • Prazo de operações: 4 anos.


Estou certa de que, na cabeça de muitos proprietários de alojamento local, existirão várias inseguranças relacionadas com o futuro, nomeadamente o receio de não terem dinheiro para saldar as dívidas. Foquem-se nos incentivos acima referidos, como as plataformas, os financiamentos e os adiamentos de impostos. Saibam que não foram esquecidos.


Para todos aqueles que têm negócios no setor do turismo, aqui fica o meu abraço: não baixem os braços!

  • Facebook ícone social
  • Instagram